enxertogordura stO enxerto de gordura é chamado de lipoenxertia. A transferência de gordura de uma área do corpo para outra tornou-se uma prática comum e amplamente utilizada na cirurgia plástica.

O enxerto de gordura nas nádegas substitui os implantes de silicone e evita complicações que porventura possam surgir com os silicones. A gordura é uma ótima forma de esculpir o corpo humano.

Na técnica, fazemos a redistribuição do tecido adiposo e remodelamos o corpo, removendo o excesso de gordura de algumas áreas e fazendo o reimplante em áreas deficientes de gordura. Retirar o excesso de gordura das coxas e reimplantar essa gordura na área dos glúteos cria a forma de ampulheta, que abrange a parte inferior das costas durante o enquadramento da nádega, fornecendo realce de volume na região glútea, o que também proporciona um efeito lifting.

O procedimento requer experiência pois grandes enxertos como nesse caso são mais delicados pois é necessário evitar nódulos e cistos de fluidos. Quando realizado corretamente, o procedimento oferece a retenção da gordura colocada na nádega em cerca de 70%, a longo termo e, é seguro e com baixas taxas de complicação.

A gordura corporal pode ser utilizada nos seguintes procedimentos:

preenchimento labial ou de rugas, de maneira parcial ou não;

aumento em mamas de tamanho médio a pequeno, sem flacidez, ou seja, é indicada para quem tem pouca mama e deseja um aumento sutil. Pode ser associada à prótese de mama, em situações específicas, com mais complexidade, em que somente o implante não proporciona bom resultado;

reconstrução da mama, após a retirada para o tratamento de câncer. Alguns médicos acreditam que a lipoenxertia pode dificultar a descoberta de um câncer de mama, porém um radiologista experiente pode detectar uma necrose de gordura.

O resultado final pode ser obtido depois de seis meses, tempo que demora para desaparecer o edema. Para este tipo de prática cirúrgica, não existe restrição de idade.