Calf Implant

Os implantes para panturrilha foram desenvolvidos com o objetivo de preencher e realçar a região anatômica posterior da perna, local em que sem encontram os músculos gastrocnêmio e sóleo (entre outros). Eles são feitos de silicone, assim como os implantes mamários. Porém, possuem forma, consistência e revestimento diferentes, próprios para a utilização e adaptação à região das panturrilhas.
As próteses de panturrilhas estão indicadas para pessoas que possuem pequeno volume na região posterior da perna.
A falta de volume nas panturrilhas tem algumas causas. Dentre elas, podemos citar fatores constitucionais (próprios de cada biotipo), congênitos (presentes ao nascimento) ou adquiridos (secundários a trauma, poliomielite, etc). Não é raro encontrarmos pessoas que, mesmo realizando musculação, não conseguem um bom desenvolvimento e definição da musculatura da região da panturrilha, contrastando com coxas e restante do membro inferior. Da mesma forma, acidentes com perda de susbstância nas pernas ou mesmo a poliomielite podem deixar sequelas e assimetria, muitas vezes passíveis de serem amenizadas com a inclusão dos implantes de panturrilha.
As próteses são confeccionadas com o intuito de preencher e projetar a região das panturrilhas. Algumas pessoas se queixam de pequena espessura da parte mais distal das pernas (conhecidas como “canelas”). é importante avaliar bem esses casos, pois, se a falta de volume for muito distal, os implantes podem não corrigir o “problema” e, até mesmo, realçar a impressão de “canela fina”, caso a região mais superior da perna seja preenchida pelo implante e a distal continue sem volume. Esse assunto deve ser bem esclarecido com seu médico.
Para a realização da cirurgia, é feita uma incisão em alguma prega na parte posterior do joelho (região poplítea). Em seguida, descola-se a região na qual o implante será inserido, para então introduzir-se a prótese, a qual é posicionada acima da musculatura da panturrilha (músculo gastrocnêmio), abaixo da fáscia que a recobre para evitar excesso de visibilidade. Mesmo assim, em pessoas com musculatura muito pouco desenvolvida, o contorno da prótese pode se tornar mais evidente.
Em geral utiliza-se anestesia raqui ou peridural, podendo o anestesista optar, também, pela anestesia geral.
Como em qualquer cirurgia, há cicatrizes. Por se localizarem sob pregas cutâneas naturais, costumam apresentar boa evolução, tornando-se pouco perceptiveis.
Geralmente não cursa com um pós-operatório excessivamente doloroso. O(a) paciente necessita de um período de 2-3 semanas com restrição de atividades excessivas. Nesse período recomenda-se o uso se calçado com salto, para evitar sobrecarga na musculatura da panturrilha e local da cicatriz. após 45 dias, exercícios leves costumam ser liberados. Entretanto recomenda-se retornar a atividades físicas normais (como por exemplo academia) apenas após 3 meses.